Preparem as sungas

Chamada geral para a galera da Igreja Pentecostal Ebenézer – IPE. Está chegando a hora da turma toda se divertir em um dia animado com muita água, sol e alegria.

O último passeio do ano da Mocidade está programado para acontecer na praia do Icaraí, uma das mais belas praias do Ceará. E uma surpresa dessa vez é a entrada geral da turma, na faixa, no complexo Icaraí Aqua Club. Isso mesmo, todo mundo terá acesso as dependências do clube.

Então não percam! Amanhã a partir das 7:30 em frente a IPE-SEDE. E depois só alegria. Nos vemos amanhã.

André Valadão pede perdão a pastor presbiteriano

 

“Nunca imaginei e ainda não sei a motivação do Olivar em tornar público um e-mail que eu o respondi, porém mais uma vez o peço perdão”, disse André Valadão em seu blog na última sexta, dia 20, depois dos comentários provocativos entre os dois pastores que foram vastamente divulgados na internet, em blogs e sites evangélicos.

A discussão começou após o líder Olivar Alves Pereira, da Igreja Presbiteriana de São José dos Campos (SP), expressar questionamentos sobre a participação de evangélicos em eventos católicos, como tem feito André Valadão ao longo de 2009. As críticas ganharam ofensas pessoais entre ambos. “Sobre o fato de você caminhar ’sob a direção de Deus’ eu não posso questionar, pois não conheço seu coração. (…) Termino aqui com a bela poesia de Paulo Cesar, do Grupo Logos (isso é que é música, e não esse ‘mantra evangélico que você produz’)”, disse Olivar.

“Se você deseja ficar enfiado nas 4 paredes da sua igreja e não tem coragem de entrar e alcançar novas pessoas, isso é problema seu. Pare de mandar emails, você e sua ‘turminha’ pro meu blog achando que vão mudar minha opinião ou até mesmo balançar minhas ações no ministério”, respondeu Valadão ao primeiro comentário do presbiteriano.

Na delcaração de desculpas, ao pastor Olivar e também “a todos aqueles que de certa forma foram atingidos com as discussões”, André expressou: “Não quero ser pedra de tropeço na vida de ninguém, mesmo tendo visões diferentes e pensamentos teológicos que acabam nos dividindo eu não tinha o direito de falar com o Pr. da forma que fiz”.

Perdão

“É com este título acima que venho de maneira pública pedir perdão ao Pr. Olivar, a igreja do nosso Senhor Jesus, e a todos aqueles que de certa forma foram atingidos com as discussões que por dias tem sido espalhadas pela internet.

Não quero ser pedra de tropeço na vida de ninguém, mesmo tendo visões diferentes e pensamentos teológicos que acabam nos dividindo eu não tinha o direito de falar com Pr. da forma que fiz. Nunca imaginei e ainda não sei a motivação do Olivar em tornar público um e-mail que eu o respondi, porém mais uma vez o peço perdão.

Em oração recebi do Senhor esta palavra já por alguns dias e compartilho com todos: Lucas 21:14-19: “Proponde, pois, em vosso coração não premeditar como haveis de responder, porque eu vos darei boca e sabedoria a que não poderão resistir, nem contradizer todos quantos se vos opuserem. E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do meu nome. Mas não perecerá um único cabelo da vossa cabeça. Na vossa paciência, possuí a vossa alma”.

Que Deus venha sarar e fechar as brechas que o inimigo tem tentado entrar e destruir corações. Mais uma vez me perdoe por tamanho erro e por ter sido usado para desviar o foco de alguns, foco este que deve sempre ser Cristo.”

Fonte: Blog André Valadão

Natália Nara se converte após posar pra Playboy

Com dinheiro e fama, participante da quinta edição do Big Brother Brasil aceita Jesus e passa a recusar trabalhos que a afastavam de Deus. “Acharam que eu tinha ficado louca”, afirma a ex-modelo que atualmente faz jornalismo e lidera célula da Igreja Bola de Neve, no RJ.

 

 

Cresci num lar em meio a uma guerra. Meu pai bebia muito e brigava quase todos os dias com a minha mãe. Quando eu cresci, proteger minha mãe virou minha função naquela casa e eu me colocava entre os dois nas piores discussões.

Depois de 20 anos de casamento, minha mãe decidiu se separar do meu pai, que soube que apoiei a decisão dela, ficou irado e jurou que nunca mais me pagaria nada (escola, alimentação, etc) e saiu de casa deixando-nos sem nada.

Já na adolescência, eu não sabia quem queria ser; um dia pintava o cabelo de verde, depois de loiro, outro dia colocava um piercing no nariz; um dia queria ser hippie, em outro punk e no outro, me achava ridícula.

As amizades sempre me decepcionavam e às vezes eu resolvia ficar sozinha. Por não saber quem eu era e o valor que tinha para Deus, confesso que andei beijando uns sapos por aí, até descobrir que existia um Deus maravilhoso, meu Pai, que me chamou pelo nome e sobrenome e cuidou de mim com amor.

Dentro de uma loja num shopping, chorei como criança quando liguei para o meu pai, pedindo que me desse uma ajuda em dinheiro. Ele negou. Eu tinha quase 18 anos e fiquei desesperada, sem saber o que seria da minha vida, e precisava trabalhar.

Depois de alguns convites, resolvi entrar para uma agência de modelos. Quando meu pai me viu pela cidade em outdoors, desfiles e comerciais de TV, passou a andar com a minha foto na carteira, contando a todos que eu era sua filha. Isso me causava uma raiva muito grande.

Com 19 anos, participei de um encontros de jovens da igreja evangélica e lá aceitei Jesus, aprendi a orar e a ler a Bíblia todos os dias.

Ainda trabalhando como modelo, comecei a ganhar algum dinheiro, pagar algumas contas em casa, mas tive de deixar de lado a profissão por um tempo. Eu queria fazer uma faculdade e também precisava de um trabalho estável, com uma renda mensal fixa. Acabei aceitando o convite para trabalhar em uma loja de perfurmes importados. Eu passava 7 horas em pé, entregando fragrâncias borrifadas em papeizinhos, sorrindo e dando bom dia e boa noite, em cima de um salto alto, ganhando cinco reais por dia. 90% das vendedoras da loja eram evangélicas e me falavam do amor de Cristo.

As vezes, surgia um trabalho como modelo e eu fazia. Em um deles, gravei um comercial para uma TV no Ceará e acabei sendo escolhida entre 1.500 pessoas e, acreditem, sem vontade de estar lá. Eu achava que era bobagem, que aquilo era para meninas que tinham grana, podiam sonhar e realizar. Comecei a ganhar dinheiro como apresentadora de TV e com publicidade. A partir daí, travei uma dispúta com meu pai, de que conseguiria viver sem o dinheiro dele, e acavamos sem nos falar.

Fui escolhida entre mais de 2 mil meninas e servi como modelo para o rosto da estátua da índia Iracemamonumento de 12 metros no Ceará, recebendo 5 mil reais de premiação.

Depois disso, mandei uma fita para o reality show Big Brother Brasil e, entre 80 mil vídeos, fui escolhida. Passei seis semanas na casa e, quando saí, recebi o convite para posar nua numa revista masculina, o que nunca esteve em meus planos. Mas o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (como afirma 1TM 6:10).

Conheci uma empresária cristã, que não quis comissão da revista. Ela começou a me evangelizar, levar-me à igreja e a shows evangélicos, comprar bíblia, livros, CDs e orar por mim. Eu me converti na mesma semana que a minha revista estava nas bancas. Mas eu só queria Jesus, Jesus, Jesus. Ia à Igreja na terça, quinta, sexta-feira, sábado e domingo.Quando me dei conta da revista (da besteira que tinha feito), passei um mês em casa, de pijama, sem querer sair, fazer nada, morando num apartamento no Rio, com carro na garagem, convites para as melhores baladas, roupas que ganhava de lojas e dinheiro na conta bancária. Só dormia quando via a luz do sol, de tanto remorso. Até que me arrependi e decidi andar nos caminhos do Senhor.

Passei a recusar o que me fazia ficar longe de Deus, desde as amizades até o dinheiro que me ofereciam para trabalhos com bebidas alcoólicas, em fotos e desfiles de lingeries, entre outros.

Graduei-me em Artes Cênicas, na cidade do Rio de Janeiro, onde morei por quatro anos e comecei a frequentar a Bola de Neve Church do Rio.

Sei que tudo neste mundo está debaixo da permissão de Deus. E a vontade Dele, finalmente, tornou-se soberana na minha vida, embora meus amigos não entendessem, ou minha família, que apostou todas as fichas em minha carreira. Acharam que eu tinha ficado louca. É Deus quem determina quem eu sou.

Depois de alguns anos sem falar com meu pai, fui à casa dele e pedi perdão por todo tempo que ficamos separados.

Hoje, estou terminando a faculdade de jornalismo, estudando francês, sou líde de célula da Bola de Neve de Fortaleza e faço parte do ministério de comunicação da igreja.

Felizmente, não sou quem o mundo diz que eu sou. Sou filha querida e amada de Deus, separada desde o ventre da minha mãe; sou herdeira de toda a sua fortuna de bênçãos; não preciso mostrar meu corpo em uma revista. Quanto ao futuro, Deus sabe quem eu serei e Ele diz que tudo coopera para o bem daquele que o ama. Sou valorosa, filha do Rei, SOU PRINCESA DO SENHOR JESUS!

 

Vídeo com depoimento da ex-BBB Natália Nara

 

Fonte: Guiame.com.br

 

 

Pastores gays se casam no Rio de Janeiro

O Pastor Marcos Gladstone, 29, fundador e líder da Igreja Contemporânea, conhecida como Igreja Gay, irá se casar hoje, 20 de Novembro às 18:30 no Rio de Janeiro, com o homossexual Fábio Inácio, 30, que também é Pastor da igreja e ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd).

O evento despertou a antipatia da grande maioria dos cristãos brasileiros devido a Bíblia afirmar que o homossexualismo é pecado, pelos cristãos não reconhecerem Fábio e Marcos como Pastores e nem a Igreja Contemporanea como igreja seguidora da doutrina cristã.

O auto-intitualdo Pastor homossexual Marcos enviou hoje a seus liderados da Igreja Contemporanea uma carta a respeito de seu casamento. Marcos fala da felicidade do momento que está vivendo e de alguns eventos que irão acontecer, além de agradecer ao apoio dos membros de sua igreja. Marcos também foi duro ao falar sobre a imprensa e todos que são contra sua posição referente ao casamento gay, a igreja gay e o cristão gay. Dê sua opinião sobre o assunto. O que você acha desse movimento?

Leia a carta na íntegra>>>

Contemporâneos,

Graça e paz!

Neste dia (20/11/09) daqui a poucas horas estarei eu (e o pastor Fabio) assumindo publicamente uma responsabilidade muito grande diante dos homens e principalmente diante de Deus ao nos casarmos. Será o primeiro casamento homoafetivo entre pastores evangélicos do país.

Lembro que um dos meus maiores dilemas enfrentados antes de me assumir foi a imagem do gay que eu tinha. Este era um homem sozinho, sem Deus, infeliz, que vivia a vida como se fosse uma festa, que nunca havia constituído família, muito menos se casar…

O retrato que tinha do homossexual era aquele que só servia como adereço de festa de carnaval e quando tudo acabava ficava jogado na avenida junto com o lixo para ser posto fora.

Nunca me esqueço de um conhecido de minha família e que todas as vezes em que passava pela minha cabeça que se eu vivesse a minha orientação eu acabaria meus dias como ele, ficava em muito sofrimento!

Deus me surpreendeu. Para graça de Deus sei que nunca estarei sozinho, pois tenho uma nação contemporânea de amigos mais chegados que irmãos que oram por minha vida e cuidam de mim nos momentos mais difíceis a serem enfrentados.

Um grande sonho que pensei nunca poder viver… Deus vem e me surpreende mais uma vez! Muitos sabem, me casarei daqui há algumas horas para ser usado por Deus como canal de Deus nesta terra, para ser um novo referencial para todas estas pessoas que como eu sofria. Mostraremos de fato que em Deus tudo é possível e nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus.

Se vocês amam este evangelho de inclusão orem por mim e o pastor Fábio neste dia. A responsabilidade é muito grande e jamais quero decepcionar a vocês ou ao nosso Senhor Jesus.

Por outro lado, Deus tem nos abertos as portas da imprensa. Como sempre repito não posso me conformar com tantas coisas mostradas na mídia sobre o gay que só os degrada.

Sinto muito, mas nós contemporâneos não ficaremos de braços cruzados. Não nos intimidaremos, porta que for de Deus passaremos por ela.

Bênçãos,

Pr. Marcos

Humorista chama Jesus de masoquista no Twitter

O humorista Oscar Filho, do programa de humor CQC, da TV Band, causou grande polêmica no Twitter ao publicar a mensagem “Essa história de crucificação é bobagem. Pra mim Jesus era masoquista”. Oscar Filho é um dos brasileiros com maior número de seguidores, até o fechamento desta matéria eram mais de 259 mil pessoas acompanhando suas mensagens.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Após a publicação, Oscar Filho foi alvejado por respostas mal humoradas de centenas de Cristãos que se sentiram ofendidos com o que o humorista disse: “desejo com todas minhas forças que Ele faça de sua vida uma piada tão ruim quanto essas que vc está fazendo agora!”, disse indignada Dayane Leite em seu perfil no Twitter. “Perdeu um seguidor, fazer piada com Jesus é muito desrespeito com os Cristãos! Tenha sua opinião, mas guarde para vc! Lamentável”, disse Rômulo Dias que ainda completou: “Ñ sigam o @OscarFilho ele faz piadas com Jesus. E ainda quer respeito! Lamentável atitudes como essa, se ñ acredita, respeite quem acredita!”.

Oscar Filho não chegou a pedir desculpas abertamente, pelo contrário nas mensagens seguintes ironizou as pessoas que que não apoiaram o que ele publicou: “Opa, desculpem pelo último post. Ao invés de dizer “história” eu quis dizer “estória”!”, “Ah, eram outras desculpas? Então lá vai: desculpa fazer piada com um cara que eu não acredito que existiu. Pra mim é folclore”,  ”Galera, desculpem mesmo eu ter dito que não acredito em Jesus. Agora eu acredito. Acabei de receber um power point que ele mesmo enviou.” e finalizou dizendo: “Dizem que Jesus ensinou o amor, não é o que eu estou recebendo agora. Aprenderam direitinho, né? O problema são os seguidores dele.”

Fonte: Gospel +

Adiada votação da PLC 122/06

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) decidiu nesta quarta-feira (18) adiar a decisão sobre o substitutivo da senadora Fátima Cleide (PT-RO) a projeto da Câmara dos Deputados, que pune com pena de um a três anos de prisão a discriminação contra pessoa idosa ou com deficiência e ainda em razão da orientação sexual. O acerto foi para que o texto (PLC 122/06) só seja votado depois da realização de audiência pública.

O debate será mais uma tentativa para se chegar a um consenso em torno do conteúdo da proposta, motivo de controvérsia nos últimos dias, tendo sido inclusive objeto de fortes discursos em Plenário. O presidente da CDH, senador Cristovam Buarque (PDT-DF), concedeu pedido de vista coletiva, para abrir espaço para o debate.

Os críticos do projeto argumentam que, se ele for aprovado, pais e líderes religiosos podem até ser presos por dizer que a homossexualidade é pecado. Na reunião, com grande presença dos membros da comissão, a relatora sustentou que as reações ao projeto levam em conta o texto que saiu da Câmara dos Deputados, e não o seu substitutivo, segundo ela com redação mais simples e objetiva e que atende às diferentes demandas.

A relatora reafirmou, no entanto, a necessidade de medidas para punir condutas que apresentam a intenção explícita, motivada por preconceito, de vitimar pessoas. Segundo ela, essa situação ainda permeia o dia-a-dia de milhões de brasileiros, atingidos em seus direitos básicos, até no direito à vida. Em relação aos homossexuais, ela afirmou que a intolerância é evidente e deixou como saldo, somente no último ano, de 122 assassinatos.

– Se essas vidas não importam, nós poderemos dizer que não existe homofobia no país – declarou a relatora.

Pelo texto do substitutivo, a lei que define e pune atos de preconceito de raça ou de cor (Lei 7.716, de 1989), e que também aborda a intolerância em razão da etnia, religião ou origem, passa a também tratar da discriminação contra pessoa idosa ou com deficiência, por orientação sexual, sexo ou identidade de gênero. Em relação ao projeto da Câmara, houve a inclusão dos idosos e das pessoas com deficiência.

Um dos artigos prevê pena, de um a três anos, para quem impedir, a pessoas desses grupos, o acesso ou recusar atendimento em restaurantes, bares ou locais semelhantes abertos ao público. Outro dispositivo fixa a mesma pena a quem impedir ou restringir a expressão e a manifestação de afetividade em locais públicos e privados abertos ao público entre pessoas desses mesmos grupos. O dispositivo que mais preocupa os parlamentares opositores ao projeto é o que define pena de até três anos de prisão para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceitos semelhantes. Depois de observar que os livros sagrados de diversos credos condenam o homossexualismo, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) avaliou que, nos termos previstos no projeto, os religiosos estariam impedidos de fazer qualquer menção a isso.

– Eu não posso ensinar o que está na Bíblia a alguém de minha igreja? Serei proibido? O texto diz que o homossexualismo é uma abominação, mas estarei incitando o ódio se fizer tal menção? – indagou Crivella.

Clareza em questão

Já no início da reunião, o senador Magno Malta (PR-ES) afirmou que o substitutivo havia sido aprovado antes na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) de maneira “inexplicável”, tendo sido colocado em votação sem divulgação e acordo prévio, o que foi negado pela senadora Fátima Cleide. Tanto ele quanto Crivella fizeram questão de assinalar que são contrários à discriminação contra os homossexuais. A discordância seria apenas com relação à falta de clareza da proposta, que daria margem a interpretações e punições exageradas.

– Não adianta tentarem passar o recado de que somos homofóbicos, pois não somos – reagiu Magno Malta.

Serys Slhessarenko (PT-MT) concordou com o novo debate, contanto que depois disso o projeto não permaneça engavetado. Conforme a senadora, o país precisa avançar no combate à intolerância e à violência contra os homossexuais. Na defesa do substitutivo, Patrícia Saboya (PDT-CE) leu artigo assinado pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), em que ele destaca que o Brasil está no quinto lugar no ranking da homofobia, com os mais de cem assassinatos de homossexuais. De acordo com o ministro, os homossexuais pagam impostos, votam, sujeitam-se a normas legais, mas, ainda são “vítimas de preconceitos, discriminações, insultos e chacotas”.

O senador Valter Pereira (PMDB-MS) condenou a discriminação e apontou avanços no substitutivo, mas considerou que ainda há pontos muito subjetivos, que demandam ajustes. Para Mão Santa (PSC-PI), o projeto em exame é desnecessário, pois a Constituição e a legislação penal já oferecem recursos para a defesa jurídica das pessoas que se sintam ofendidas por atos de discriminação.

Fonte: Agência Estado

Ana Paula confirmada no 11º Congresso de Louvor e Adoração

Inscrições são limitadas e começam no dia 4 de janeiro de 2010.

No site oficial, o ministério Diante do Trono anunciou que está confirmada a 11ª edição do Congresso Internacional de Louvor e Adoração. O evento acontecerá entre os dias 01 e 03 de abril de 2010, na “Semana Santa”. O local será o mesmo utilizado no congresso passado: a Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte.

As inscrições começam a partir de 4 de Janeiro de 2010 e são limitadas.

Detalhes como valor, participações especiais, preletores e programação ainda não foram determinados. Entretanto, a presença de Ana Paula Valadão já está confirmada. Ela virá ao Brasil para comandar este evento já tradicional que tem abençoado tantas vidas ao longo dos anos, bem como fará nos compromissos que fazem parte da agenda de ministrações do Ministério.

Desde agosto, Ana Paula Valadão está num campo missionário em Dallas (EUA) com sua família. “Lavar, cozinhar, limpar, cuidar da minha família ou SERVIR quem quer que seja, se tornou para mim a grande obra de Deus. Obra que Ele está fazendo em mim, acima de tudo, para que eu seja um pouco mais como Jesus. Apenas isso já faz valer a pena”, disse a cantora em seu blog.

Fonte: Diante do Trono / Guia-me
Postado por: Felipe Pinheiro