Exortação ou constrangimento Part. I

Exortação: Ato de exortar, advertência, conselho.

Constrangimento: Ato de constranger, acanhamento, embaraço.

De acordo com o Dicionário Aurélio, as duas palavras sequer fazem parte da mesma família e são totalmente diferentes em seus significados. Mas então, por que as vezes as pessoas detentoras da Palavra se acham no direito de exortar os fiéis membros das igrejas de forma constrangedora, que coage e deixa embaraçado o crente?

Bem, como diz no Dicionário, exortar é aconselhar e, no pior das circustâncias, advertir as pessoas de algo que fizeram errado. Mas, nos deixa também claro que isso se deve ocorrer diretamente para a pessoa, de forma clara e sem a participação de demais pessoas. O que acontece dentro das igrejas, muitas vezes, é a exortação em ‘praça pública’ em que todos os membros da Igraja participam da ação e vêem a pessoa exortada procurando um lugar para se esconder. Ou seja: um fato claro de constrangimento.

As pessoas que sobem  ao pubito tem que saber que o lugar em que elas estão é considerado santificado pelos fiéis, e que é extremamente errado julgar, condenar ou, simplesmente, constranger as pessoas, só porque não aceitam uma decisão ou não querem participar de uma Palavra ou louvor.

Deus nos deu o livre arbítrio para escolher o que queremos fazer ou não. Os detentores do microfone, tem que entender que não é forçando as ovelhas a subirem no pubito que a Igreja será abençoada. E caso o fiel não queira subir, por motivos que só ele sabe, esse tem que ser respeitado.

No próximo capítulo, uma conversa com o Pr. Antônio Rodrigues sobre a exortação em público e o constrangimento das ovelhas.

Anúncios

Autor: Miguel Martins

contato, sugestões, críticas: miguelmartins27@gmail.com

2 comentários em “Exortação ou constrangimento Part. I”

  1. 6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6.

    6 Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar. Mateus 18

    42 E qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de atafona, e que fosse lançado no mar. Marcos 9

    9 E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo. Lucas 3

    2 Melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de atafona, e fosse lançado ao mar, do que fazer tropeçar um destes pequenos. Lucas 17

    27 E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim. Lucas 19:27.

    8 Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; 2 Tessalonicenses 1:8.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s