Após transformar o forró, Felipão se dedica à carreira Gospel

Ousadia é marca registrada de Felipão. Aos 16 anos, o cantor já parecia ter decidido não deixar um início de carreira prematuro comprometer as marcas que fixaria no forró cearense. Foi a busca incessante pelo diferente que tornou Felipão um dos pioneiros do forró suingado, aquele que une percussão à zabumba e à sanfona. Agora, o ícone do forró elétrico encerra a carreira no forró para se dedicar à música Gospel.

Motivo é decepção com forró

A drástica mudança no estilo musical de Felipe Aragão Gurgel (26) é fruto de uma decepção com o forró. O cantor foi perdendo a vontade de subir aos palcos quando começou a perceber que o forró estava deixando de ser um ritmo musical para se tornar um estilo de vida em que tem “moral” aquele que beber muito uísque, pegar muita mulher e ter um som potente no carro.

Casado há cinco anos e pai de duas crianças, o cantor chegou a impedir que sua música fosse ouvida em casa porque as letras eram incompatíveis com a postura que adotara em relação à sua família. “Qual o exemplo que eu estava dando para as minhas filhas?”, questiona.

Intenso ritmo de trabalho contribuiu

O frenético ritmo de trabalho das bandas foi outro motivo para deixar de vez o forró. Felipão revela que o cansaço excessivo e a falta de tempo para a família foram os motivos pelos quais começou a beber exaustivamente e até entrou em depressão. “Hoje, eu tenho visto muita gente do meio se envolver com drogas. Eu, graças a Deus, nunca nem vi cocaína pessoalmente, mas na bebida eu estava acabado”, lamenta.

Atritos pela saída do Forró Moral

O sucesso nunca impediu que Felipão traçasse novos caminhos. Sempre em busca de uma espécie de coerência pessoal, o cantor chegou a se desentender com a família por conta da agenda lotada. Incompreendido, ele deixou o Forró Moral no auge do sucesso e seguiu a carreira solo com um ritmo de shows mais ameno.

Conversão à igreja

Reduzir, no entanto, nem sempre é o suficiente. Convertido à igreja evangélica, Felipão passou a sentir-se incomodado com o tipo de música que cantava, a apologia à bebida e as danças sensuais que caracterizavam seu personagem no palco.

Sem o famoso cavanhaque, o cantor tira o chapéu literalmente e abandona a dança que marcou a transição do xote tradicional para uma dança mais solta e individual. O rebolado intuitivo e as mãos por trás da cabeça, característicos do personagem Felipão, dão lugar a um artista mais sereno e leve.

Novo CD

Agora, Felipe (como prefere ser chamado) grava seu primeiro CD Gospel e parte para um projeto diferente: “Agora eu estou vivendo da maneira que Deus quer. É um projeto que é um propósito de vida e não mais um produto. Eu quero mostrar o que mudou minha vida para as pessoas”, finaliza.

Fonte: Portal Verdes Mares

 

Anúncios

“Volto para debater até com o capeta”

Na noite do dia 24 de março, o pastor Silas Malafaia esteve mais uma vez no programa do Ratinho, do SBT, para discutir o projeto de lei constitucional 122 – PLC 122, que criminaliza a homofobia – medo ou aversão ao homossexual.

Há um mês, Silas Malafaia participou do programa em debate sobre a lei contra homofobia com a ex-deputada federal Iara Bernardi (PT-SP), autora do projeto, que já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e pode entrar na pauta de votação do Senado. Nesta quarta-feira, a transsexual Rosana Star foi a convidada para discutir o tema com o pastor.

Ratinho contou que após a exibição do programa, em fevereiro, foi muito criticado. Segundo o apresentador, as pessoas consideraram que Malafaia ganhou o debate do mês anterior por se expressar com mais desenvoltura. Em contato com o pastor e apresentador do Vitória em Cristo,programa de Silas Malafaia na TV, Ratinho o convidou para um novo debate. “O senhor topa, pastor?”, disse Ratinho. “Topo qualquer coisa, volto para debater até com o capeta”, disse Silas Malafaia.

“Eu não quero discutir religião. Eu quero dizer que Jesus ama todas as pessoas… Vamos discutir a lei? Ela é vergonhosa, ela é um absurdo, que quer privilegiar uma classe de gente. Toda sociedade precisa de limites. A escola diz assim: Em um pátio interno nenhum aluno pode se beijar, seja hetero ou homossexual. Ninguém se beija. No pátio de uma igreja ninguém se beija. Se o diretor da escola impedir ou se o pastor da igreja impedir, dois a cinco anos de cadeia”, disse o pastor. “Esse projeto criminaliza a opinião. Se uma pessoa tem uma babá evangélica e não quer que a criança seja educada por uma babá evangélica, pode demiti-la. Se uma pessoa tem uma babá homossexual e não quer que a criança seja educada por uma babá homossexual, pode demiti-la também”, comparou Malafaia.

Em outro momento do debate, Rosa Star expressou: “Eu tenho pai, tenho mãe, sei o que é família e sei que um pai não gostaria que seu filho visse dois homens se beijando na televisão. Agora quanto à igreja, eu não sei porque criticar tanto a prárica do homossexual, do homossexualismo. Por que você não traz esse público para vocês de forma carinhosa? Se o senhor acha que eu posso mudar, por que não me convida para sua igreja? Por que você não convita o público lgbt para ir a sua igreja?”.

Malafaia respondeu: “Discordar da prática de uma pessoa não significa discriminá-la. Eu gostaria deinformar que a igreja evangélica está lotada de pessoas em busca de transformação […] e assim como você, qualquer homossexual que quiser ajuda espiritual, a igreja evangélica, Ratinho, está lotada. Isso é conversa. Ninguém leva homossexual para igreja para bater ou botar em quarto escuro”.

Você pode assistir em vídeo a segunda participação de Silas Malafaia no Programa do Ratinhoacessando, o canal de Vídeos Gospel do Gospel+, o Gvídeos.

Fonte: Guia-me / Gospel+

A volta dos Discípulos das Artes Cênicas

Tudo tem o seu tempo. E isso é Bíblia pura.

Depois de quase oito meses de encerradas as atividades do DAC – Discípulos das Artes Cênicas, eis que Deus toca no coração de seu dirigente, e através de vários servos fiéis, confirma que o retorno do grupo deve ser concretizado.

Então, com um aviso Divino não se brinca e nem faz pouco caso. Por isso e através dessas revelações, o DAC reinicia suas atividades aos poucos, retomando as atividades com um núcleo mais reduzido, na intenção de levar a Palavra do Senhor sempre com ordem e decência.

Já estamos trabalhando em duas esquetes: O AMOR e TE AMO MAMÃE!

A primeira estamos retomando e já tem várias apresentações marcadas. A segunda está direcionada especialmente para o dia das Mães a se realizar no segundo domingo de maio. Então é isso, o DAC está de volta! Unido em um só propósito: JESUS!!!

Apresentações

O AMOR

Dia 10/04 – Culto Regional de Mocidade (Conj. Ceará)

Dia 19/04 – Culto de Mocidade Rosa de Saron (sub-congregação)

Dia 17/04 – Culto de Mocidade (Ebenezer sede)

Dia 18/04 – Culto do Amor (Ebenezer sede)

Dia 24/04 – Igreja Emannoel (Monte Castelo

Dia 01/05 – Ebenezer (Metropolitano) – a confirmar

Mamãe Eu Te Amo!

Dia 09/05 – Ebenézer Sede

CONHEÇA O DAC

EBENÉZER

“Então Samuel tomou uma pedra, e a pôs entre Mizpá e Sem, e lhe chamou Ebenézer; e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor” I Samuel 7:12

Ebenézer foi o nome que o profeta Samuel deu ao monumento que erigiu como marco da vitória concedida por Deus aos israelitas frente aos filisteus.

O significado literal de Ebenézer é “Pedra do Socorro”, o que esclarece o significado daquele ato: lembrar o povo de Deus que o auxílio dEle é suficiente.

Presos vivem manhã de louvor e emoção

por: Mariana Toniatti
marianatoniatti@opovo.com.br

Sérgio Gonçalves de Souza, 47, acordou angustiado. “Desde ontem tava atribulado, mas cheguei aqui e me emocionei. Já tô me sentindo melhor“. O louvor promovido pelo projeto Renascer, criado por detentos da própria Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL) Paulo Oliveira, aliviou a tensão de Sérgio e emocionou os mais de 300 detentos que acompanharam o show da banda gospel Arte e Celebração, da Igreja Batista Central, na manhã de ontem.

Os homens que participaram do show vivem na “rua dos irmãos“, participam de dois cultos diários e estudam a Bíblia. A maioria não era evangélico antes da prisão, mas procura os irmãos pela segurança da convivência e depois se entrega à “palavra do Senhor“. “Foi o meu caso. Lá é só tranquilidade, mas passei a ouvir os cultos e me interessei de verdade“, conta André Freire da Silva, 26. Marcos Roberto Cândido, 32, diz que se sente mais seguro agora. “Esse contato com a palavra do Senhor te dá tranquilidade, você fica mais manso“.

Ontem, com a Bíblia debaixo do braço, cada um dos detentos se emocionou. “Peço que o Senhor me perdoe de todos os pecados, tenha misericórdia e compaixão“, diz o pastor no palco. Lá embaixo, quase homens choram com as mãos erguidas. Algumas mães e esposas foram participar do encontro. Choram, consolam e são consoladas.

Em oito meses de funcionamento, a CPPL já organizou festa no Dia das Crianças, sessão de cinema e noite de Revéillon. “Só assim a vida carcerária fica mais leve“, acredita a diretora da unidade, Keydna Cordeiro. Os detentos envolvidos no projeto já planejam outras atividades. “É difícil viver aqui. Mas ouvir uma música alegre, assistir um filme, pode parecer coisa pouca, mas pra gente faz muita diferença“, diz Marcos Roberto.

Fonte: Jornal O POVO

Assessor de Bento XVI é afastado após escândalo sexual

Prostituição gay: Gelo Balducci foi flagrado em gravações dando instruções sobre garotos de programa

Um assessor do papa Bento XVI foi afastado nesta semana por causa de um escândalo sexual envolvendo prostituição gay que sacudiu o Vaticano. Gelo Balducci, um dos Cavalheiros de Sua Santidade, uma espécie de assistente de elite para o papa quando recebe visitas importantes, foi flagrado em gravações feitas pela polícia dando instruções a um interlocutor sobre detalhes físicos de homens que gostaria que fossem levados a ele.

Segundo a imprensa italiana, o interlocutor era Thomas Ehiem, 29 anos, integrante do famoso coral do Vaticano, que também foi afastado. A polícia italiana havia grampeado o telefone de Balducci durante uma investigação de corrupção separada e não relacionada ao Vaticano. Em uma das transcrições vazadas para a mídia, Ehiem descreve um homem como tendo “dois metros, 97 quilos, 33 anos e diz que é ‘completamente ativo’”.

Em outra, Balducci pergunta a Ehiem se ele já “falou com o seminarista”, ao que ele responde: “ele provavelmente está na missa, ou algo assim”. A transcrição das gravações sugere que Ehiem procurou pelo menos dez homens para Balducci, entre eles, modelos e um jogador de rúgbi.

Um representante do Vaticano disse que Bento XVI está ciente do escândalo.

Em uma das transcrições vazadas para a mídia, Ehiem descreve um homem como tendo “dois metros, 97 quilos, 33 anos e diz que é ‘completamente ativo'”.

Em outra, Balducci pergunta a Ehiem se ele já “falou com o seminarista”, ao que ele responde “ele provavelmente está na missa, ou algo assim”.

A transcrição das gravações sugere que Ehiem procurou pelo menos dez homens para Balducci, entre eles, modelos e um jogador de rúgbi.

Thomas Ehiem seria integrante do coro que se apresentou para o papa Bento 16 em uma apresentação de Natal.

Entre as atribuições de Balducci estavam a de ciceronear chefes de Estado e carregar o caixão em funerais papais.

 BBC Brasil