Dia 30 de novembro: Dia do evangélico???

Foi publicada na quarta-feira, 15, no “Diário oficial da União”, Lei nº 12.328, que institui o Dia Nacional do Evangélico a ser comemorado no dia 30 de novembro de cada ano.
“O PRESIDENTE DA REPÚBLICA:

faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o Fica instituído o Dia Nacional do Evangélico, a ser comemorado no dia 30 de novembro de cada ano.
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 15 de setembro de 2010; 189o da Independência e 122o da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

João Luiz Silva Ferreira”


fonte:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12328.htm

O Dia do Evangélico já faz parte do calendário oficial brasiliense e é considerada ponto facultativo no Distrito Federal. A data foi criada e garantida pela lei 893/95, a partir de um projeto do então deputado distrital Carlos Xavier.

Crítica

Líderes evangélicos se mostraram surpresos ao saber que a lei 12.328 — que institui o dia 30 de novembro como Dia do Evangélico — foi sancionada quarta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O decreto foi publicado nesta quinta-feira, 16 de setembro, no Diário Oficial da União. O projeto é do deputado do Partido Republicano Brasileiro (PRB-MA), Cléber Verde.

— É uma iniciativa simpática, mas, todavia, a República nasceu laica e precisa continuar laico. Defendo a separação entre Igreja e Estado para que haja democracia. O presidente precisa despertar para esse aspecto da Constituição — explica o presidente da Catedral Presbiteriana do Rio e da Academia Evangélica de Letras do Brasil, Reverendo Guilhermino Cunha.

O diretor-geral da Convenção Batista Carioca, Pastor Walmir Vieira, concorda:
— Não há necessidade disso. O dia do evangélico é todo dia, quando damos testemunho de uma vida cristã e bonita. Se existe um dia do evangélico, será preciso haver um para os católicos, para os espíritas.

Teólogo e professor de Filosofia, o pastor Alexandre Marques também destaca a importância de não privilegiar nenhuma religião:
— Será preciso haver um dia para as tradições orientais e africanas, que foram demonizadas e atacadas.

Qual a sua opinião sobre essa decisão do presidente Lula? É certo criar uma data em prol de uma parte da sociedade religiosa denominada evangélica? O País sendo laico se faz correto aprovar tal decreto por um presidente da República? Quais interesses políticos estão por trás de tal decreto? Dê sua opinião, crítica, sugestão… Participe!!!

Visite nossas congregações

EBENÉZER SEDE

Rua Carlindo Cruz – 156 A

bairro Presidente Kennedy

Cultos

Avivamento > Seg. A partir das 19h30min

Cura e Libertação > Qua. A partir das 19h30min

Doutrina > Sex. A partir das 19h30min

Aos domingos os cultos começam às 18hs.


Ebenézer em Conjunto Ceará

Rua 515, nº 115, 2º etapa, conj. ceará

Cultos

Avivamento > Qua.  das 19:30 as 21:00
Doutrina Sex.  das 19:30 as 21:00 hs
Culto de jovens> 2º Sáb. das 19:00 as 21:00
Aos domingos: de 18:30 as 20:30 hs.

Ebenézer em Parque Rio Branco


Quarta >  Campanha Espiritual
Sexta > Doutrina
4º  Sábado > Culto de Jovens
TODOS COMEÇAM AS 19h30min

Domingo > Adoração às 18hs

PARABENS ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL EBENÉZER

A Escola Bíblica Dominical surgiu na Inglaterra, com o propósito de evangelizar crianças que ficavam sem atividade durante os serviços de domingo.  O fundador da EBD foi Robert Raikes, que originou o Movimento de Escola Dominical. Raikes se interessava pela reforma prisional inglesa, por causa das condições terríveis que os presos eram submetidos.

Certo dia, procurando um jardineiro na Rua Saint Catherine, no bairro de Sooty Alley, ele encontrou um grupo de crianças sujas brincando na rua. Elas extravasavam toda sorte de violência no domingo. Raikes constatou que as crianças estavam a um passo do mundo do crime e ele chegou a ver o destino de muitas delas, ao visitar algumas prisões.

A esposa do jardineiro disse que, aos domingos, a situação era pior, pois as crianças que trabalhavam nas fábricas, de segunda a sábado, ficavam desocupadas, quase abandonadas aos domingos, passando o tempo brincando, brigando e aprendendo toda espécie de vícios.

Raikes resolveu estabelecer uma escola gratuita para esses meninos de rua. Então, ele contratou uma equipe de quatro mulheres no bairro para lecionar, e até pagava pelos serviços. Com a ajuda do Rev. Thomas Stock, Ministro Anglicano, Raikes pôde logo associar cem crianças, de seis aos quatorze anos, nestas escolas dominicais.

Seu objetivo principal era alfabetizar os alunos e ministrar aulas de religião com o propósito de reformar a sociedade. O objetivo último era modificar-lhes o caráter usando os ensinamentos bíblicos.

Houve, no entanto, uma forte oposição ao movimento de Raikes, que era considerado por alguns líderes religiosos como um movimento diabólico, porque era à parte das Igrejas e era dirigido por pessoas que não tinham formação pedagógica.

Chegou-se a pedir que o Governo, em 1800, aprovasse um decreto para proibir o funcionamento de escolas dominicais. Achavam que este movimento levaria à desunião da Igreja e que profanava “o dia do Senhor”. Tal decreto nunca foi aprovado.

Em 1802, Raikes se aposentou, e, em 1811, após um ataque de coração, veio a falecer.

Nessa época, quatrocentos mil alunos estavam matriculados nas diversas escolas dominicais britânicas. Nesse ano ocorreu a divisão em classes, possibilitando alfabetização a adultos analfabetos.

O espírito de Raikes, em criar um “instituto bíblico infantil”, somente surgiu em 1855, através do casal de missionários escoceses independentes, Robert e Sara Kaelly. Eles são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil.

Em 19 de agosto desse ano, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram aquela que é considerada a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não foi grande: apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florescesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país.

No Brasil, a maioria das igrejas adota a EBD matinal e os serviços religiosos vespertinos, mas algumas realizam a EBD a noite ou horas antes do início dos cultos.

A EBD da Igreja Pentecostal Ebenézer, surgiu logo após a fundação da Igreja, no ano de 1999. Seus principais dirigentes e superintendentes foram: Pastor Francisco Rocha, Ir. Zé Vitor, Diácono Adriano e atualmente, o auxiliar André.

EBD EBENEZER