150 mil pessoas aguardadas na Marcha para Jesus

Samaisa dos Anjos

Já são 18 edições em Fortaleza da marcha voltada para as famílias que querem louvar a Jesus e, a cada ano, a expectativa de público só aumenta. Segundo os organizadores da Marcha para Jesus de 2011, são esperadas hoje 150 mil pessoas de diversas igrejas cristãs.

A concentração da Marcha acontecerá a partir das 14h na praça do Liceu, na rua Oto de Alencar, no bairro da Jacarecanga. A expectativa é que a multidão formada por famílias siga em caminhada pela Leste-Oeste em direção ao Aterro da Praia de Iracema a partir das 15h.

O percurso contará com diversas paradas, momentos em que os fiéis se unirão em corrente de oração pela sociedade, pela cidade de Fortaleza e por todo o Estado, acompanhados pelo cantor Fernando Fé, que seguirá em um trio elétrico entoando hinos de louvor.

Ao chegar ao Aterro a banda Expressão Ágape, Marquinho Gomes, o Pastor Antônio Cirilo e banda e as cantoras Cláudia Valente e Rosana continuarão a festa para as famílias reunidas em manifestação de fé.

Segurança e trânsito
Em Fortalezam, o evento reúne tradicionalmente pessoas de todas as idades em grupos de familiares ou igrejas. Portanto, a Marcha para Jesus é um evento eminentemente pacífico. Ainda assim, para garantir a segurança dos fiéis, a organização confirmou a presença de um efetivo da Polícia Militar e de uma viatura de resgate do Corpo de Bombeiros a cargo do Grupo de Socorro de Urgência (GSU).

Para o trânsito, a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania de Fortaleza (AMC) indicou a presença de um efetivo de 30 agentes, divididos em quatro viaturas e 20 motocicletas. As motos farão a interdição parcial das vias por onde a marcha irá passar. A AMC continuará no local após o término do evento, previsto para as 19h, para orientar a dispersão do público.

A Marcha para Jesus acontece em diversas cidades brasileiras. O maior evento é realizado em São Paulo, em que já não se consegue marchar, levando-se em conta o número de participantes que passa dos 3 milhões. 

Com a frase “Vem, esta é a hora de louvar ao grande Deus”, a Marcha para Jesus de Fortaleza conclama fiéis a expressarem sua fé e amor, levando às ruas suas orações.

ENTENDA A NOTÍCIA

Acontece hoje a 18ª Marcha para Jesus, que tem público estimado em 150 mil pessoas. Caminhada acompanhada de trios elétricos com artistas entoando canções de louvor e tranquilidade prometem reunir famílias durante o feriado.

Fonte: O POVO

Preservar é preciso

TICIANA DE CASTRO
Repórter

Cerca de três mil jovens cearenses integram o Atitude 434, movimento de pureza sexual da Igreja Batista Central de Fortaleza. Eles propagam a escolha através do uso de um anel de prata, que traz uma referência bíblica à uma vida de dignidade ao corpo

Inspirado nos fundamentos do programa “True Love Waits” (O verdadeiro amor espera”), criado pelo pastor Danny Patton em Baltimore (EUA), no ano de 1994, a Igreja Batista Central de Fortaleza (IBC) deu origem, em 2006, ao Atitude 434. Assim como no movimento norte-americano, o local tomou, como símbolo, o Anel de Pureza, também chamado de “anel de prata” ou “anel de santidade”.

Nele, surge inscrito a referência bíblica 1 Ts 4:3-4 (primeiro livro de Tessalonicenses, capítulo 4, versos 3 e 4), passagem esta que diz: “Deus quer de mim vida pura: fugindo da imoralidade sexual; aprendendo a dar dignidade ao meu corpo e não sendo dominado pelo desejo. Deus espera de mim dedicação radical”.

Assim, o Atitude 434 tem, como objetivo, difundir o sexo dentro do matrimônio, estimulando jovens solteiros a esperar pelo casamento para ter vida sexual ativa. Os casados também têm suas instruções. Eles são incentivados a se manter fieis aos cônjuges.

Em conversa com o Zoeira, o coordenador da rede de jovens da IBC, Orlando Neri, afirmou que o movimento pede apenas o cumprimento do que Deus reservou aos seus filhos e que mostra o quanto vale esperar – o tempo que for necessário – para ter intimidade com a pessoa certa.

Atualmente, a IBC já conta com cerca de três mil integrantes – a partir de 14 anos de idade – no movimento. E todos são convidados a assumir publicamente a escolha. “Os jovens não devem calar o compromisso que fizeram com Deus. Devem, por exemplo, na roda de amigos da faculdade, enfatizar a certeza de que querem ser puros”, ressalta.

E como é o processo de realização deste compromisso? Orlando Neri explica que, duas vezes ao ano, acontecem seminários de pureza sexual, onde os jovens são convidados a entender a proposta do Atitude 434. Lá, participam de atividades antes de decidirem se querem ou não optar pela aliança.

“Durante os eventos, os integrantes assistem a palestras esclarecedoras sobre sexualidade, pornografia, enfatizando valores e princípios, com apresentação de vídeos e tira-dúvidas. Só depois ocorre a cerimônia, quando são chamados a fazer o voto, selado com o uso da aliança de prata”, diz o coordenador. Segundo ele, 95% dos participantes do seminário fazem a adesão, até porque se inscrevem no evento já tendo ideia do que o mesmo trata.

O próximo seminário, inclusive, acontecerá dias 25 e 26, sábado e domingo, durante a programação do XX Encontro para Pastores e Líderes (EPL). Veja box na página ao lado.

Puros no amor

Os jovens Carolina Vasconcelos, 26 anos, e Lucas Vinhas, 23, aderiram ao Atitude 434 no primeiro ano do movimento em Fortaleza. Na época, eles eram apenas bons amigos e compartilhavam a ansiedade de viver a pureza e a espera pela pessoa certa em Cristo.

“Nós guardávamos, no coração, a tranquilidade de estar fazendo o certo. Era e é maravilhoso até agora”, afirma Carolina.

O namoro veio bem depois, aliado à cumplicidade de amigos. A partir daí, o casal confessa que as tentações cresceram. Mas que, prontamente, as ocasiões de queda passaram a ser evitadas. “Nós não ficamos a sós nunca. Evitamos beijos mais profundos e abraços, só de lado. Ah, já até ficamos 40 dias sem nos beijarmos. Foi ótimo para aprendermos a lidar com o nosso auto-controle”, conta Carol.

Além disso, uma vez por semana o casal – assim como os demais integrantes do movimento – frequentam o que chamam de “Pequeno Grupo”, uma espécie de grupo de oração, onde encontram os amigos da IBC, todos focados nos mesmos objetivos. Há também o “mentoriamento”, realizado quinzenalmente, quando se reúnem com pessoas mais experientes da Igreja para compartilhar as experiências, dúvidas e dificuldades na caminhada.

“O primeiro passo para a queda é querer andar sozinho. Sempre procuramos passar essa ideia. Daí, a importância de frequentar a Igreja e de conviver com pessoas com os mesmos propósitos”, destaca Orlando Neri.

Casar virgem

Após uma temporada “solta no mundo”, como ela mesmo denomina, Ariadna Almeida, 22, diz ter retornado à vida destinada a Deus. “Minha mãe me trouxe à Igreja aos sete anos. Sempre fui fiel. Mas de 17 a 20 anos vivi para o mundo. Fiz de tudo um pouco. Mas, graças a Deus, fui resguardada quanto à questão da sexualidade”, comenta.

Há quase dois anos, Ariadna voltou a ser assídua na Igreja. Atualmente, ela trabalha na IBC como assistente de recursos humanos e também é orgulhosa de ter feito o voto da pureza sexual. “É difícil me manter casta, mas sei que esta é a vontade de Deus. Eu também tenho o sonho de casar virgem. Minha mãe engravidou de mim muito nova e sempre me ensinou que vale a pena esperar”, conta.

Ariadna defende que, para os solteiros é mais difícil se manter longe do pecado da carne do que para os namorados. “Ah, os solteiros têm o problema da carência de atenção. Fica complicado para mim, por exemplo, não usar uma roupa mais curta ou decotada, que eu sei que vai agradar os homens. É difícil ficar discreta… Os casais de namorados cuidam um do outro na caminhada, é diferente, entende? Não posso mentir que já caí em tentação depois que entrei no movimento, mas sei que Deus me ama como sou e me chama a recomeçar sempre. O amor de Deus é tão grande que me sinto constrangida a errar de novo”, conclui Ariadna.

Fonte: Diário do Nordeste

Atividades animam jovens da Mocidade Àgata

A juventude Àgata está de parabéns pela participação nas diversas atividades de sua Mocidade nos últimos meses. A presidência do grupo tem se esforçado para trazer o melhor e se doar cada vez mais, para que os jovens permaneçam trilhando os caminhos do Senhor.

Diante disso, algumas atividades foram criadas para que a Mocidade permaneça cada vez mais unidas e presentes uns com os outros. E uma dessas alternativas é a “Roda da Palavra” idealizada para discutirmos assuntos referentes ao nosso cotidiano, sempre se utilizando da palavra deixada nas sagradas escrituras.

O primeiro tema foi DEUS e em seguida, discutimos sobre SANTIDADE NO NAMORO, onde rendeu um bom aprendizado para cada um dos que ali estavam. O próximo encontro, marcado para a terça-feira, às 19hs na Ebenézer Sede, debaterá o tema SOLTEIRO, E DAÍ?. Através desses encontros, os jovens podem tirar suas dúvidas, e, principalmente confraternizar com seus irmãos.

Outro movimento da Mocidade Ágata que está sendo muito bem aproveitado são as dinâmicas ocorridas todos os sábados às 14hs, onde louvamos, pregamos, adoramos e exaltamos o nome do Senhor. De uma forma bem descontraída e repleta de dinâmicas, a tarde de sábado agora tem um novo significado para cada um desses jovens.

No domingo, como de praxe, sempre a partir das 8hs temos a nossa consagração, onde deixamos de lado o mundo e tentamos nos santificar um pouco mais. Também está programado para todos os domingos às 9hs, a participação de todos os jovens na Escola Bíblica Dominical, para aprendermos um pouco mais sobre a Palavra de Deus.

Estes movimentos têm sido proveitosos e os jovens têm demonstrado,cada vez mais, interesse pelas coisas do alto e estão em perfeita harmonia com a Casa do Pai e seus irmãos. Então, vamos continuar assim Mocidade. E para aqueles que ainda não fazem parte desta maravilhosa turma, fica o convite. Venha, participe! Esteja junto conosco!

Vereador evangélico propõe criação do Dia do Orgulho Hetero

O vereador evangélico Carlos Apolinário (DEM) colocou em votação na Câmara Municipal de São Paulo a criação de uma data para a comemoração do Dia do Orgulho Heterossexual.

O projeto tem o apoio de outros vereadores evangélicos e soma 28 votos a favor. Se for aprovado,  a data será celebrada todo o terceiro domingo de dezembro.

Entre os vereadores que são contra está o líder do PT, Ítalo Cardoso  que chegou a pedir a suspensão da sessão, ele chegou a dizer que não votaria mais em nada se o projeto não fosse retirado da pauta.

Apolinário briga há três anos para impedir a realização da Parada do Orgulho LGBT que acontece na Avenida Paulista.

Projeto vira tema no Twitter
No Twitter milhares de pessoas começaram a discutir o projeto de Apolinário, a grande maioria postava ofensas e criticava a heterossexualidade como se ela fosse algo a ser “banido” da população.

Quem também se manifestou sobre o projeto foi o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) um dos parlamentares que mais luta pelas causas homossexuais. “Orgulho Hetero é fruto da fé cega, faca amolada,” escreveu o ex-BBB que fez uma postagem em seu blog na Carta Capital dizendo que a Bíblia é um texto literário escrito em época diferente da nossa.

Ainda no Twitter o deputado retransmitiu uma série de frases atacando as igrejas. “Talvez esteja na hora de nos metermos também nos assuntos da igreja, tipo, Tributação em cima das fortunas arrecadas?” Dizia uma das mensagens. “Essa falsa bancada evangélica só quer promoção,” escreveu outro internauta.

Fonte: Gospel Prime

Pastores participarão da Parada Gay

A entidade ecumênica Koinonia está organizando uma caminhada ecumênica na Parada Gay, que acontece no próximo domingo, 26, onde cerca de 200 pessoas devem se juntar ao grupo composto por pastores, padres, mães e pais de santo, seminaristas e leigos católicos e evangélicos para disseminar o discurso anti-homofóbico.

Juntos eles darão voz contra parlamentares cristãos e líderes religiosos que travaram uma batalha com os representantes de direitos humanos e de grupos homossexuais para barrar leis e projetos que beneficiem a homoafetividade e também tentam barrar proposta como o PL 122 que criminaliza toda opinião contrária ao homossexualismo.

De acordo com uma matéria da Revista Isto É, a Paróquia da Santíssima Trindade da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, no centro de São Paulo realiza batismo de homossexuais e a comunidade gay é bem recebida pelos heterossexuais. Isso acontece desde que o pernambucano Arthur Cavalcante assumiu como pároco, em 2005.

“Foi difícil tratar da diversidade sexual, falando para casais protestantes de 50 anos, com todo o peso religioso e a história cultural já vigentes”, conta ele que é um dos presentes ao evento do dia 26.

Além de Arthur Calvacante, o padre inglês James Alison, que mora no Brasil, também estará na Parada Gay. Ele gerou polêmica quando se assumiu como homossexual diante da Igreja Católica que condena a prática e também impõe o celibato aos seus sacerdotes.

“A proporção de gays no clero é muitíssimo maior do que os 4% presentes na sociedade”, diz ele, que, entre outros afazeres, corre o mundo dando palestras em retiros para padres gays.

Fonte: Gospelprime

Pastores são expulsos por denunciarem desvio de R$ 3 milhões de dólares de dízimos e ofertas

O bispo Juliano Marques expulsou da IMPD (Igreja Mundial do Poder de Deus) de Angola pelo menos três pastores angolanos porque eles teriam descoberto que os responsáveis pela igreja, todos brasileiros, desviaram para seus bolsos US$ 3 milhões (R$ 4,76 milhões) do dízimo e da venda de canetas e gravatas com poder de “cura divina”. A informação foi divulgada pelo semanário Agora e repercutiu em toda a imprensa angolana, como o site AngoNotícias [reprodução acima].

A IMPD abriu uma filial naquele país em meados do ano passado e se encontra instalada em um templo provisório em Luanda, a capital. A expulsão dos pastores ocorreu durante uma cerimônia religiosa.

O seminário publicou que os brasileiros estão aplicando o dinheiro do dízimo em negócios próprios em Angola e no exterior. Marques também estaria pagando por mês cerca de US$ 28 mil (R$ 44,4 mil) pelo aluguel de um casarão em Talatona, o bairro dos ricos de Luanda. O salário de um pastor angolano é 30 mil kwanzas, o que corresponde a U$ 344 ou a R$ 546.

Um angolano disse ao Agora: “A igreja se transformou em uma forma de enriquecimento familiar. Quase todas as semanas chegam brasileiros que regressam com os bolsos cheios”.

No AngoNotícias, um leitor comentou: “O governo angolano é tímido em agir perante estes casos, sobretudo perante aos brasileiros que vêm roubar o povo. [O governo] só olha os bandidos das ruas e esquecem os bandidos e diabos brasileiros que enganam os angolanos diariamente”.

A IMPD de Angola não se manifestou até agora sobre as acusações.

Marques substituiu em Angola o bispo Marcelo Paiva, que, por “amor à África”, abriu lá a sua própria igreja, a Sê Tu Uma Benção de Deus.

Fonte: Paulopes