Igreja do Canadá responde a reportagem da Record sobre o “cair no Espírito Santo”

O pastor Joel Engel, fundador do Catch The Fire do Sul do Brasil, após assistir à reportagem sobre o ‘cair no Espírito’, veiculada pela Rede Record, solicitou ao Catch The Fire, em Toronto, que enviasse um comunicado explicativo à imprensa.

Pelo fato de algumas das imagens pertencerem a eventos do Catch The Fire e terem sido usadas para denegrir a unção pregada por eles, o ministério enviou ao pastor o comunicado solicitado.

Abaixo, você pode ler o comunicado na íntegra:

COMUNICADO À IMPRENSA

Ao longo dos anos, uma das questões mais frequentes sobre o avivamento que começou em 1994 em Toronto, tem sido sobre as manifestações que ocorrem quando as pessoas são tocadas pelo poder de Deus.

Nossas reuniões tem sido caracterizadas, muitas vezes, por sinais visíveis do povo de Deus sendo tocado; com manifestações tais como cair sob o poder do Espírito, rir, chorar e tremer. Algumas pessoas têm questionado o porquê destas manifestações ocorrerem e se elas são bíblicas.

Quando o Espírito Santo desceu no Pentecostes, os crentes que estavam aguardando, experimentaram o poder de Deus: “Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava.” Atos 2:1-4

“Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: “Que significa isto?” Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: “Eles beberam vinho demais”. Então Pedro levantou-se com os Onze e, em alta voz, dirigiu-se à multidão: “Homens da Judéia e todos os que vivem em Jerusalém, deixem-me explicar-lhes isto! Ouçam com atenção: estes homens não estão bêbados, como vocês supõem. Ainda são nove horas da manhã!” Atos 2:13-15

Eles manifestaram o Espírito Santo falando em línguas e tinham comportamentos de pessoas bêbadas!
Isso nos dá razão para supor que quando o Espírito Santo desceu sobre eles, seus corpos físicos ficaram tão carregados que pareciam “bêbados” – talvez cambaleando, rindo e até mesmo caindo.

O batismo do Espírito Santo pode ser traduzido como ser “completamente imerso” no poder e na presença do Deus Vivo. João Batista, falando de Jesus, descreveu-o como aquele que iria “batizar com o Espírito Santo e com fogo” (Lucas 3:16). Isto implica que esta é uma experiência poderosa e que seria aguardada, podendo ter algum sinal externo ou manifestação.

Especialmente no Ocidente, fomos condicionados a racionalizar toda experiência e não confiar em nossas emoções. Estamos com tanto medo de cair no emocionalismo que podemos esquecer de que fomos projetados para sentir a presença do Deus Vivo, porque Ele é uma pessoa.

Deus é um Deus emocional; por toda a Bíblia Ele expressa uma gama completa de emoções, incluindo o amor, compaixão, raiva, tristeza e até mesmo o arrependimento (I Sam 15:11).

Deus nos fez seres emocionais porque as emoções dão cores à vida e enriquecem as experiências. Um casamento sem emoções ou sinais exteriores de afeto seria considerado um casamento sem amor. Da mesma forma, o nosso relacionamento com nosso amado Pai Celestial e nosso noivo Jesus é
projetado para também ser experimentado em um nível emocional.

Ele deseja que venhamos responder a Ele em nossas emoções, então, quando em Sua presença, não deveria nos surpreender o fato de que podemos experimentar risos, lágrimas e níveis profundos de paz. (Isto não endossa
comportamentos emocionais excessivos que se originam do desejo carnal de chamar atenção).


 O primeiro requisito para receber mais da presença de Deus é crer assim como uma criança que Ele quer nos abençoar. Isso é fé – achegar-se a Deus, sabendo que Ele é bom.

“E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Lucas 11:11-13

Infelizmente, em vez de recebermos como criancinhas, alguns críticos se preocupam em cair no engano ou em serem levados por uma falsa experiência de Deus. Se nos achagarmos a Deus e pedirmos mais do Seu Espírito Santo, ele não nos dará uma “cobra” ou um “escorpião” ou em outras palavras, algum tipo de experiência demoníaca.

Alguns críticos descreveram as manifestações como sendo demoníacas; fazendo assim, parecem colocar mais fé na capacidade do inimigo de nos enganar e nos controlar do que a capacidade de Deus em nos proteger e abençoar. Temos que exercitar o discernimento no Espírito Santo quando vemos uma manifestação que à primeira vista parece “estranha”.

O que você pensaria de alguém que chegou em casa depois de uma reunião religiosa e não conseguisse mais falar? Você pode ser tentado a dizer que isto seja algo demoníaco. No entanto, em Lucas 1, vemos que Zacarias ficou mudo na presença de Deus e não pode falar durante toda a gravidez de Izabel.

“E o povo estava esperando a Zacarias, e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo. E, saindo ele, não lhes podia falar; e entenderam que tinha tido uma visão no templo. E falava por acenos, e ficou mudo.” Lucas 1:21-22

Da mesma forma, Saulo ficou temporariamente cego pelo seu encontro com Jesus na estrada de Damasco: “Saulo levantou-se do chão e, abrindo os olhos, não conseguia ver nada. E eles o levaram pela mão até Damasco. Por três dias ele esteve cego, não comeu nem bebeu.” Atos 9:8

E se você presenciasse algo assim como um mero observador? Onde você vê um rapaz cair sob o poder de Deus e quando ele se levanta, está cego! O que passaria em sua mente? “Isso não soa correto, não é? Certamente isto não pode ser Jesus – isto deve ser o diabo!” Você pode ver como os nossos pensamentos já estão pré- condicionados – a facilidade com que nós atribuímos as coisas sobrenaturais ou eventos incomuns ao diabo, mas não a Deus?
Alguns podem até criticar algo semelhante a experiência de Pedro em Atos 10:10 onde “Pedro caiu em transe”, ou outras traduções “Pedro caiu em êxtase” como sendo algo da “Nova Era”.

Algumas vezes realmente há atividades demoníacas em uma reunião – que são demônios saindo das pessoas, a medida que o poder de Deus cai sobre estas. Descobrimos que, muitas vezes, em uma reunião, a presença de Deus é tão grande que as pessoas são libertas de espíritos malígnos espontâneamente – e pode acontecer manifestações quando eles deixam a pessoa.


 Algumas pessoas vão perguntar, mas e o auto-controle? Não é um dos frutos do Espírito? Então, por que pessoas que estão sendo tocados por Deus demostram tão pouco auto-controle?

Da mesma forma, as pessoas gostam de comentar que “O Espírito Santo é um cavalheiro”, implicando que ele não iria ter controle sobre seu corpo de modo que você parecesse “fora de controle”.

No entanto, há evidências bíblicas mostrando que Deus muitas vezes se move sobre as pessoas de maneiras que eles tem pouca escolha em como responderão.

Na estrada de Damasco, Saulo não estava claramente no controle do que estava acontecendo com ele e ainda assim, este encontro deu frutos incríveis em sua vida. Na inauguração do Templo de Salomão, a presença de Deus foi tão grande que os sacerdotes não mais conseguiam permanecer em pé.

Às vezes, no contexto de uma reunião pública, algumas pessoas agem de forma carnalmente descontroladas, talvez para chamar a atenção ou até mesmo, só porque elas estão desesperados por se sentirem “incluídas”. Nestes casos, procuramos pastorear estas pessoas e ajudá-las a se acalmar e receber de Deus verdadeiramente.

Estamos realmente sempre fora de controle se Deus está no controle?
Quando nos rendemos ao Espírito Santo é como dirigir um carro – tomamos a decisão de sentar no banco do passageiro e deixá-lo assumir o volante.

Estamos fora de controle? Não, apenas tem uma motorista diferente agora. Manifestações são evidê ncias do fato de que Deus está tocando uma pessoa ou de que sua presença está conosco aqui e agora. Mas o que dizer depois do cair ou rir ou chorar?

Qual é o fruto duradouro destas experiências?
No final de 1995, uma socióloga cristã, Margaret Poloma, pediu para entrevistar uma grande parte destas pessoas que haviam caído sob o poder do Espírito. Margaret pesquisou cerca de 1.000 pessoas.

A pesquisa constatou que 92% das pessoas tornaram-se mais apaixonadas por Jesus desde a experiência mais do que nunca. 82% destas pessoas mencionaram que, agora mais do que nunca, estavam motivadas e animadas para compartilhar de Jesus com suas famílias e amigos.

Em termos estatísticos, estes são percentuais bem altos para pesquisa de qualquer grupo. Emocionalismo ou atividades demoníacas não levariam estas pessoas a amar mais a Jesus e a desejar compartilhar mais dEle com outros.


 Cair no chão

“E os sacerdotes não podiam permanecer em pé, para ministrar, por causa da nuvem; porque a glória do SENHOR encheu a casa de Deus.” II Crônicas 5:14
Parece que a presença de Deus era tão poderosa que suas pernas cederam e eles caíram ao chão.

Daniel caiu para a frente: “Quando ele se aproximou de mim, fiquei aterrorizado e caí prostrado. E ele me disse: Filho do homem, saiba que a visão refere-se aos tempos do fim”. Enquanto ele falava comigo, caí prostrado, rosto em terra, e perdi os sentidos. Então ele tocou em mim e me pôs de pé.” Daniel 8:17-18

Tremer
“Ouvi isso, e o meu íntimo estremeceu, meus lábios tremeram; os meus ossos desfaleceram;
minhas pernas vacilavam.” Habacuque 3:16
“Os guardas tremeram de medo e ficaram como mortos.” Mateus 28:4

Rir
“Abraão prostrou-se, rosto em terra; riu-se…” Gênesis 17:17
Alegria como de uma criança Sabendo que Deus deseja que possamos ser como crianças diante dEle, não é surpreendente que as pessoas que são tocadas pelo poder de Deus, muitas vezes, possam agir como crianças. Temos visto pessoas sendo cheias da alegria e com risos no Espírito Santo, rolando no chão e correndo como crianças.

Na Bíblia, o próprio Jesus foi tomado pela alegria: “Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Espírito Santo…” Lucas 10:21
O rei Davi agiu de forma despresível quando ele estava tão cheio da alegria do Senhor dançando na rua quase nu. Sua esposa desprezava ele, mas sua resposta foi: “E me rebaixarei ainda mais, e me humilharei aos meus próprios olhos.” 2 Samuel 6:22

Às vezes, sob o poder do Espírito, as pessoas estão comunicando alguma coisa através de suas ações, ao invés de apenas responder emocionalmente a toque de Deus.

Exemplos:
Simulando voar como uma águia
Rugindo como um leão
Cantando como um galo

Uma vez, em uma reunião de pastores em Stirling, na Escócia, a líder de louvor que ao liderar uma adoração maravilhosa, de vez em quando cantava como um galo. Quando lhe perguntei o que estava acontecendo, ela respondeu: “Eu sinto que o Senhor está dizendo: “Igreja, é hora de acordar! Há um novo dia chegando. É hora de acordar!”

Em 1998, quando a Microsoft lançou o Windows 98, tinha um comercial de TV em que um galo voava para uma cerca e cantava. O slogan apareceu na tela dizendo: “É um novo dia!”. Ninguém ficou ofendido por este anúncio, mas então por que tantos ficam ofendidos quando Deus fala desta maneira na igreja?
Por toda a bíblia, vemos que Deus ama falar através de imagens, histórias e simbolismos proféticos, já que, muitas vezes ultrapassado a nossa mente analítica, isto pode ser comunicado tão claramente aos nossos corações.

O apóstolo Paulo explica: “A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.” I Coríntios 2:4-5


“Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente.” I Coríntios 2:14 NLT

Para a mente racional, as coisas do Espírito parecem loucura. Então, quando vemos algo que poderíamos considerar “estranho”, é necessário sermos cuidadosos antes de julgar e devemos usar o discernimento que o Espírito Santo nos oferece.

Podemos confiar em nosso Pai Celestial para nos dar boas dádivas quando pedirmos a Ele. Por isso, não precisamos ter medo e podemos pedir por mais do Seu maravilhoso Espírito Santo.

Fonte: GUIAME.COM.BR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s